Islã: história, crenças e significado moderno

11. Definição de muçulmano

Um muçulmano é alguém que se identifica como um seguidor da religião islâmica. Os muçulmanos acreditam que seu texto sagrado, o Alcorão, é a palavra absoluta de Deus, como foi revelado ao profeta Maomé. Na língua árabe, muçulmano significa “alguém que se submete a Deus (ou fé)”. Os muçulmanos acreditam na existência de um único Deus, a quem eles se referem como Allah. Acredita-se que toda essa poderosa divindade tenha se comunicado através de vários profetas terrestres, incluindo Jesus Cristo.

10. Crenças e textos sagrados

Os Cinco Pilares do Islã são os principais inquilinos da religião muçulmana. A base deste sistema de crenças está enraizada na prática diária de orações, estrita observância do Ramadã, esmola, assim como a obrigação de visitar o local sagrado de Meca, Arábia Saudita, pelo menos uma vez na vida. Muhammad, o fundador do Islã, é referido como sendo "o Selo dos Profetas". Os membros da fé muçulmana se esforçam para viver uma vida que agrada a Deus, de modo a ganhar um lugar no Paraíso após a morte. Os textos sagrados da fé muçulmana incluem o Alcorão, que é considerado o testamento final de Deus, bem como o Hadith que documenta a vida e os ensinamentos do profeta Maomé.

9. História do Islã

Tem sido amplamente aceito que a religião islâmica começou durante a primeira parte do século VII nas áreas geográficas de Meca e Medina. Acredita-se que o profeta islâmico Maomé tenha nascido por volta do ano 570 e os muçulmanos acreditem que ele começou a receber revelações de Deus (Allah) aos 40 anos. Depois de fugir de Meca e entrar em Yathrib (mais tarde chamado Medina), um grupo juntou-se a ele. de seguidores em que os muçulmanos se referem como a hijra, que é considerada como o início da fé islâmica.

8. Dispersão Geográfica dos Muçulmanos Hoje

Atualmente, há mais de um bilhão de muçulmanos vivendo em todo o mundo, tornando-se a segunda maior religião. Porque começou no Oriente Médio, o Islã é a fé dominante nesta área geográfica, bem como em partes da África. O Islã é a principal religião em países como Afeganistão, Argélia, Bangladesh, Egito, Gâmbia, Indonésia, Irã, Iraque, Marrocos, Paquistão, Arábia Saudita, Sudão, Turquia e Jordânia. Populações muçulmanas significativas também podem ser encontradas na Índia, na Rússia, na China, bem como em partes da Europa Ocidental e da América do Norte. O Islã continua sendo uma das religiões que mais crescem no mundo.

7. Crescimento Contínuo da Fé

De acordo com o Fórum de Religião e Vida Pública do Pew Research Center, nos próximos 20 anos, o número de muçulmanos deverá aumentar em 35%. Isso é mais rápido do que a taxa de crescimento esperada para outras religiões do mundo, como o cristianismo e o judaísmo. Só na Europa, estima-se que dentro de um período de tempo relativamente curto, os muçulmanos representarão 10% da população total. Parte da razão para o crescimento da fé islâmica é a alta taxa de fertilidade de seus seguidores, bem como a idade mediana relativamente jovem dos muçulmanos atuais.

6. Profetas Importantes e Líderes Religiosos

Além de Maomé, importantes profetas islâmicos incluem figuras como Ibrahim ou Abraão, cuja disposição de sacrificar seu filho Ismael desempenha um papel no festival islâmico Eid-al-adha. Os crentes muçulmanos citam Isa ou Jesus como sendo um dos profetas mais significativos da fé. Acredita-se que Isa recebeu o evangelho por Allah (Deus). A longa história do Islã também inclui uma grande variedade de líderes influentes, como Muhammad Iqbal (1877-1938), Ruhollah Khomeini (1902-1989) e o ganhador do Prêmio Nobel da Paz Anwar Sadat (1918-1971).

5. Seitas Islâmicas e Escolas de Ensino

A fé islâmica é composta de várias seitas distintas, cada uma com seu próprio conjunto de crenças e práticas. Ramos da religião incluem sunitas, xiitas, sufis e ahmadiyas. A maioria dos muçulmanos modernos se identifica como sendo sunitas, enquanto os xiitas podem ser subdivididos em Twelvers, Seveners e Fivers. Considera-se que a seita sufi adere a um sistema de crença mais místico, enquanto as relativamente novas Ahmadiyas são derivadas dos tradicionais ramos sunitas e xiitas do islamismo.

4. Relação com o cristianismo e o judaísmo

Tanto o Islã quanto os cristãos são religiões monoteístas que compartilham uma série de semelhanças históricas. Tanto os muçulmanos quanto os cristãos reconhecem que Jesus Cristo é uma figura-chave em suas respectivas tradições, mas enquanto os cristãos acreditam que Cristo era o Filho de Deus, os muçulmanos vêem seu papel como o de um importante profeta. Como o islamismo e o cristianismo, o judaísmo também pode rastrear suas raízes até a região do Oriente Médio. As tensões entre muçulmanos e judeus são muitas vezes noticiadas devido ao conflito árabe / israelense em curso devido a reivindicações de terra disputadas. Apesar dos esforços para uma resolução pacífica, a violência continua a atormentar esta área do Médio Oriente e parece que nenhuma resolução está no horizonte imediato.

3. Desafios e Controvérsias

A religião islâmica atualmente enfrenta muitos desafios significativos, tanto internamente quanto em termos de status e percepção em todo o mundo. Talvez o maior problema enfrentado pelos muçulmanos modernos envolva o crescente fenômeno da "islamofobia". Esse medo ou ódio daqueles da fé muçulmana parece derivar dos papéis dos extremistas muçulmanos que estão sendo desempenhados dentro de várias organizações terroristas internacionais, como ISIS e Boko Haram. No mundo ocidental, os muçulmanos continuam a enfrentar um grau crescente de preconceito e fanatismo racista baseado em desinformação e equívocos generalizados em relação às suas tradições e sistema de crenças. Em muitos países, os direitos das mulheres islâmicas também têm sido objeto de controvérsia, particularmente em termos da questão de mulheres muçulmanas usando o hijab ou a burca.

2. Direitos das minorias muçulmanas nos países não muçulmanos

Como o número de muçulmanos continua a aumentar, uma variedade de países tradicionalmente não-muçulmanos viu a população islâmica em seus países de origem aumentar significativamente. Devido a esse crescimento, muita atenção tem sido dada recentemente aos direitos das minorias, bem como às questões relativas à acomodação religiosa. Em países ocidentais como os EUA e o Canadá, questões relacionadas ao Islã, como o espaço de oração adequado e os direitos e liberdades das mulheres, tiveram que ser abordadas não apenas pelos respectivos governos, mas também em relação à sociedade em geral. Outro problema significativo envolve o antigo sistema islâmico da lei Sharia e práticas antigas como o assassinato por honra e a mutilação genital feminina. Este último é um sistema severo, mais cultural do que religioso, sendo levado a cabo por muitos povos antes da introdução do Islão, e é ilegal na maior parte do mundo.

1. Significado histórico e legado

Acredita-se que, antes da ascensão do Islã, a maioria dos residentes do Oriente Médio subscrevesse um conjunto de religiões baseadas na existência de uma variedade de deuses. A mais poderosa de todas essas divindades foi Alá, que se tornou a figura central na fé muçulmana. Por causa de sua longa e célebre história, bem como suas origens na Península Arábica, o Islã desempenhou um papel importante na formação da paisagem cultural, política e modo de vida das pessoas que vivem no Oriente Médio. Devido às fortes tradições e crenças de seus seguidores, os imigrantes muçulmanos que se mudaram para outras áreas do mundo continuam a dar muita importância à manutenção de sua fé e à criação de seus filhos de acordo com os princípios de sua religião, mesmo vivendo em ambientes em grande parte não-muçulmanos.

Recomendado

As Províncias da África do Sul
2019
O que é Fragmentação de Habitat?
2019
Os diferentes tipos de migração humana
2019