O que é uma megalópole?

Uma megalópole é formada quando várias áreas urbanas que foram separadas por algum tempo se fundem para formar uma enorme região metropolitana ao longo do tempo devido ao crescimento e expansão dos centros urbanos fragmentados. Para que uma região se qualifique como uma megalópole, ela precisa ter pelo menos 10 milhões de habitantes, deve ser um conglomerado de mais de duas áreas urbanas e deve ser bem suprida de uma rede de infra-estrutura desenvolvida. Quase todos os continentes têm megalópoles espalhadas por diferentes países.

África

No Egito, há a megalópole Cairo-Qalyubia-Giza-Helwan, que abriga 16 milhões de habitantes. Há também o delta do rio Nilo que se estende de Alexandria a Port Said cobrindo uma área de cerca de 18.000 milhas quadradas com uma população combinada de aproximadamente 41 milhões de pessoas. Há a região da cidade de Gauteng na África do Sul, que combina Pretória, Midrand, Triângulo Vaal, Joanesburgo e Centurião, com 10 milhões de pessoas. No Marrocos, a megalópole El Jadida-Rabata-Casablanca-Kenitra se estende por cerca de 320 quilômetros e tem uma população de 11 milhões. No Quênia, existe a região metropolitana de Nairobi, que consiste em Murang'a-Kajiado-Nairobi-Kiambu-Machakos, com uma população de 10 milhões de pessoas.

Europa

A Europa tem algumas das maiores megalópoles do mundo que incluem a Banana Azul, que é um corredor urbano contínuo que se estende do norte de Gales até o norte da Itália passando por oito estados, com uma população combinada de cerca de 110 milhões. Há a Banana Dourada, que se estende de Valência a Gênova, cobrindo cinco países e com uma população de 45 milhões de habitantes. Há também a Banana Verde, que é um cinturão de urbanização que começa na Polônia até a Itália, com uma população de 40 milhões. Cada um dos países europeus também tem suas pequenas megalópoles dentro deles que se juntam a cidades importantes.

As Americas

Há a megalópole dos Grandes Lagos que se estende do norte do Canadá até os Estados Unidos, cobrindo várias províncias e estados de cada país com uma população de 60 milhões de pessoas. Há a megalópole do sul da Califórnia, que abrange cidades do México ao estado da Califórnia, com uma população combinada de cerca de 29 milhões de habitantes. A Argentina tem a megalópole da Grande Buenos Aires, que se estende por grandes cidades como Buenos Aires, Quilmes e Merlo, com mais de 13 milhões de pessoas. A megalópole de São Paulo no Brasil tem mais de 32 milhões de pessoas e se estende pelas cidades de Campinas e São Paulo. O Grande Rio de Janeiro tem mais de 12 milhões de pessoas e se estende do Rio a São Gonçalo.

Vantagens e desvantagens das megalópoles

As vantagens de viver em uma megalópole apresentam mais oportunidades de emprego. A maioria é bem desenvolvida com infraestrutura moderna que tende a atrair investimentos que geram empregos. Há também um nível muito alto de diversidade associado a essas áreas urbanas. O lado negativo disso, no entanto, é o sempre persistente crime de alto nível que atinge populações tão numerosas. Os preços de commodities, como a habitação, também são extremamente altos, e isso geralmente resulta no surgimento de favelas nos arredores de áreas urbanas que atraem todos os tipos de vândalos e aumentam a insegurança. Há também a questão do saneamento deficiente que é criado pelo mau planejamento e superpopulação.

Recomendado

Grupos étnicos do Quirguizistão
2019
O que é a cultura de Singapura?
2019
Quais são os efeitos do envenenamento por mercúrio?
2019