O que é Zoochosis?

Zoocose é uma palavra usada para explicar o comportamento estereotipado de animais em cativeiro. O comportamento estereotípico é descrito como um padrão de comportamento invariante e repetitivo sem objetivo ou função aparente. Animais em zoológicos e outras formas de cativeiro sofrem de estresse e depressão e exibem comportamentos incomuns. Estes hábitos não são exibidos por animais que vivem na natureza, o que significa que o confinamento tem efeitos prejudiciais sobre a saúde dos animais. A condição foi identificada por Bill Travers em 1992. A zoocose é exibida através de distúrbios comportamentais, como circundamento, estimulação, mordida de bar, higiene excessiva, dependência e autoagressão. Animais zoocóticos também retratam transtornos alimentares, como anorexia.

Causas da Zoocose

Os animais desenvolvem comportamentos zoocóticos quando são removidos de seus habitats naturais. Por exemplo, elefantes encontrados em zoológicos à beira da estrada e aqueles usados ​​no circo sofrem principalmente de zoocose. Os elefantes são frequentemente acorrentados ou forçados a viver em pisos de concreto que são ambientes não naturais para eles. Encher os animais também os leva a sofrer com doenças mentais. Isso explica por que os macacos enjaulados se comportam de maneira incomum em comparação com os macacos soltos na natureza. A outra causa principal da zoocose é quando os animais são separados de sua família. Os gorilas são um bom exemplo de animais sociais que, quando separados de suas famílias, desenvolvem hábitos incomuns, como soluços incessantes. Além disso, os animais sofrem zoocrosia quando são expostos ao abuso de outros animais ou de tratadores do zoológico.

Manifestação da Zoocrosia

Animais zoocóticos exibem principalmente certos comportamentos repetitivos. Elefantes, ursos, gorilas e tigres andam de um lado para o outro quando colocados em confinamento. Outros animais escovam repetidamente a pele, levando à perda de cabelo. Animais em zoológicos são frequentemente vistos como barras e fios que os confinam, o que também é um sinal de zoocose. Um urso polar famoso em um zoológico americano nadou compulsivamente por horas e às vezes assustava os visitantes com um olhar predatório que indicava zoocose no urso. Em casos extremos, alguns animais recorrem à auto-mutilação para lidar com as condições desumanas em que vivem.

Remédios da zoocose

Os zoológicos costumam usar vários remédios para tratar a zoocose em animais. Uma das soluções para os animais doentes é fornecer brinquedos como uma distração. O outro remédio é reestruturar os confinamentos em que os animais vivem para tornar o local mais adequado para o animal. Animais zoocóticos também são alimentados com refeições que demoram a ingerir para distraí-los de comportamentos prejudiciais. O método mais popular usado para tratar animais zoocóticos é o uso de drogas psicóticas. Este método é preferido porque é barato e eficaz em comparação com outros tratamentos. Pesquisadores descobriram que a maioria dos zoológicos fornece drogas como Prozac e Valium para girafas, texugos, gorilas e ursos para ajudá-los a lidar com os habitats antinaturais em que vivem.

Prevenção da Zoocose

Os animais podem ser protegidos da zoocose através da implementação de leis com foco animal. O primeiro passo seria avaliar os abrigos de animais para estabelecer verdadeiros abrigos falsos. Os abrigos cujo único objetivo é ganhar dinheiro devem ser fechados como medida de proteção. A maioria dos abrigos de animais afirma proteger espécies ameaçadas enquanto eles realmente colocam os animais em condições desumanas. A proibição de zoológicos itinerantes seria a outra medida para proteger os animais de serem submetidos a condições adversas. Por fim, é essencial educar o público sobre os efeitos do confinamento de animais. Uma vez que as pessoas sejam informadas, elas defenderão o tratamento humano dos animais, o que reduziria a chance de um animal sofrer zoocose.

Recomendado

Qual é a moeda do Iêmen?
2019
Qual é a capital das Ilhas Salomão?
2019
Principais destinos para turismo médico em todo o mundo
2019