Que tipo de governo tem o Sudão do Sul?

O Sudão do Sul é um dos países sem litoral da África Oriental. É o mais novo estado da África, conquistando sua independência do Sudão em 2011, após um referendo que recebeu apoio maciço. O governo do Sudão do Sul entrou em vigor em 9 de janeiro de 2005, após a assinatura do Acordo de Paz Integral. John Garang, líder do SPLM, tornou-se o primeiro presidente do país. O Sudão do Sul adotou uma nova constituição em dezembro de 2005. A constituição provisória foi ratificada pela agora extinta Assembléia Legislativa do Sul do Sudão e foi assinada pelo presidente no Dia da Independência, tornando-se a lei suprema e substituindo a constituição provisória de 2005.

Governo do Sudão do Sul

A constituição de transição do Sudão do Sul estabelece um sistema presidencial misto de governo, com o presidente liderando tanto o estado quanto o governo, e também é chefe das forças militares. O poder do governo do Sudão do Sul se origina da vontade do povo e do Acordo Integral de Paz. O gabinete liderado pelo presidente é o braço executivo do governo. O gabinete é composto pelo presidente, dois vice-presidentes e vários ministros do gabinete. Atualmente, o gabinete do Sudão do Sul é composto por 29 ministros. O presidente tem o poder de nomear e demitir ministros e os dois vice-presidentes. O presidente também tem poderes para fazer outras nomeações estaduais, incluindo embaixadores, líderes paraestatais e juízes. O presidente do Sudão do Sul é responsável por promover relações estrangeiras com outras nações. A atual luta por poderes entre o presidente Kiir e seu ex-vice-presidente, Riek Machar, afetou a estabilidade do país

Legislativo Nacional

O poder legislativo é exercido pela legislatura nacional do Sudão do Sul. O parlamento bicameral é composto pela assembléia legislativa nacional e pelo Conselho de Estado. O Conselho de Estado é composto por 50 membros provenientes de 50 circunscrições enquanto a assembleia legislativa nacional é composta por 400 membros, com 170 membros eleitos em 2010. A legislatura nacional tem a sua sede na capital, Juba, e é responsável pela supervisão do desempenho. das instituições governamentais nacionais, aprovando políticas e orçamentos executivos, ratificando tratados e acordos internacionais, promulgando legislações e emitindo um voto de desconfiança contra os vice-presidentes e quaisquer ministros de gabinete. O Sudão do Sul deverá realizar uma eleição para a próxima assembléia legislativa em 2018, após a extensão do mandato da assembléia.

Judiciário do Sudão do Sul

A constituição do Sudão do Sul prevê o estabelecimento do judiciário estadual, conforme seja necessário. O judiciário é independente dos outros dois ramos do governo com seu orçamento cobrado sobre fundos consolidados. Os tribunais estaduais têm mandato civil e penal em relação à lei nacional. A estrutura e o poder do tribunal estão delineados na constituição. O chefe de justiça é responsável perante o presidente e dirige o judiciário. O supremo tribunal é o mais alto tribunal do sul do Sudão. O tribunal de apelação e o tribunal superior são classificados como tribunais de segunda linha. Outros tribunais, incluindo tribunais e tribunais de condado, são criados apenas quando necessário.

Recomendado

Espécies Únicas da África: Oribi
2019
Onde estão os países da Panônia da Europa?
2019
Movimentos de arte ao longo da história: Pintura de campo de cor
2019