Ruínas de Loropeni, Burkina Faso

O Burkina Faso é um país sem litoral na África ocidental que faz fronteira com seis países, incluindo Benin, Costa do Marfim, Gana, Mali, Níger e Togo. O Burkina Faso, assim como muitos países africanos, está repleto de locais de patrimônio cultural. As ruínas de Loropeni foram o primeiro patrimônio mundial da UNESCO a ser inscrito em Burkina Faso em 2009. O local é um marco cultural em Burkina Faso e representa a antiga afluência de reinos medievais durante o comércio transaariano. As ruínas foram abandonadas no século XIX, mas permanecem bem preservadas devido à sua importância espiritual para as comunidades locais.

5. Descrição e História -

As ruínas consistem de majestosos muros de pedra que chegam a quase seis metros e encerram um antigo assentamento abandonado. As ruínas eram habitadas pelo povo Koulango ou Lohron já no século XI. As ruínas de Loropeni são as mais bem preservadas na área de Lobi, que tem um total de dez dessas fortalezas. O assentamento é semelhante a outros assentamentos abandonados que prosperaram durante o comércio de ouro trans-saariano. Acredita-se que o assentamento de Loropeni tenha sido vital durante o comércio, em particular entre os séculos XIV e XVII, onde esteve em sua mais alta proeminência. As ruínas de Loropeni espelham outros assentamentos medievais da África Ocidental que faziam parte do comércio transaariano. O assentamento foi abandonado no século 19 devido a invasões de escravos.

4. Renome e Turismo -

As ruínas, sendo o único patrimônio mundial no país, são um importante destino turístico em Burkina Faso. O turismo nas ruínas facilitou o crescimento da cidade vizinha de Loropeni. As ruínas oferecem o melhor exemplo de assentamentos similares espalhados pela África Ocidental antes do comércio de escravos e da colonização. Eles são um testemunho vivo de organização como era na África medieval.

3. Exclusividade -

As ruínas servem como uma representação do lucrativo comércio de ouro trans-saariano e da riqueza associada a ele. As ruínas persistiram por cerca de 1.000 anos e permanecem 80% intactas, evidenciando uma forte fortificação. As ruínas mostram que os habitantes são bem qualificados na arquitetura medieval, fazendo com que as ruínas se destaquem de outras antigas estruturas fortificadas da região.

2. Arredores, vistas e sons naturais -

As ruínas são cercadas por árvores e vegetação nos tempos modernos, que fornecem habitats para pequenos animais, como roedores e pássaros. O Rio Negro Volta também flui perto das ruínas. Atualmente, as ruínas estão cobertas de árvores e as paredes estão quase desmoronando.

1. Ameaças e Conservação -

As Ruínas de Loropeni são adversamente afetadas pelas condições ambientais. O aumento do volume de chuvas, ventos fortes e altas temperaturas são as principais ameaças ambientais à sustentabilidade da preservação das ruínas. Atividades de roedores nas paredes levaram ao enfraquecimento da fundação das paredes em algumas áreas. Incêndios, especialmente durante as estações secas, causaram algum nível de dano às ruínas. Fraquezas estruturais também estão causando o desmoronamento das paredes. Artesãos qualificados das comunidades vizinhas estão facilitando os esforços de conservação nas ruínas. As ruínas têm importância espiritual para as comunidades vizinhas e, portanto, estão ativamente envolvidas em sua preservação.

As ruínas de Loropeni foram listadas em uma lista de observação de 2008 em sítios do Patrimônio Mundial, necessitando de políticas mais intensivas de gestão conservacionista pelo governo em parceria com agências culturais. As ruínas de Loropeni continuam a ser um patrimônio histórico bem preservado em Burkina Faso. Atualmente, as ruínas estão cercadas por 670 acres de área que consiste em uma zona intermediária para controlar a invasão e proteger o local de atividades como agricultura e exploração de pedreiras.

Recomendado

As Províncias da África do Sul
2019
O que é Fragmentação de Habitat?
2019
Os diferentes tipos de migração humana
2019