Por que o Dia da Discriminação Zero é celebrado?

Ao longo de muitos anos, a discriminação baseada em questões como gênero, raça, etnia, localização geográfica e muitas outras tem aumentado. No processo de assegurar a igualdade, muitos governos, bem como organizações não governamentais, apresentaram várias medidas. O Zero Discrimination Day tem suas raízes no fim da desigualdade perante a lei. A Organização das Nações Unidas (ONU) criou este dia para criar uma plataforma em que a igualdade entre várias pessoas dentro dos estados membros é reforçada. Em particular, o Programa Conjunto das Nações Unidas sobre HIV e AIDS (UNAIDS) iniciou políticas destinadas a minimizar a discriminação contra as pessoas que vivem com aids.

História do Dia Zero da Discriminação

O Dia Zero da Discriminação foi lançado pela primeira vez em Pequim, China, em 27 de fevereiro de 2014. No entanto, a primeira comemoração deste dia foi realizada em 1º de março daquele ano. O objetivo principal do lançamento deste dia foi incentivar as pessoas com HIV / AIDS e sensibilizar o público sobre a necessidade de apoiar essas pessoas.

As Nações Unidas têm sido o ponto focal de tentar erradicar doenças nos países membros. O UNAIDS, em particular, apresentou várias estratégias de campanha e Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) destinados a eliminar a doença até 2030. A estratégia empregada pela organização é direcionada a questões como o fim da pobreza, a fome e a garantia de educação de qualidade entre outros tópicos.

Objetivos do Dia da Discriminação Zero

A principal razão pela qual o Zero Discrimination Day foi estabelecido foi garantir a igualdade perante a lei. Houve discriminação generalizada contra pessoas com base em religião, raça, gênero, formação educacional e saúde, entre outros valores. Através do estabelecimento do Dia da Discriminação Zero, a ONU busca unir pessoas nos países membros e tratá-los igualmente perante a lei. Nos últimos anos, a discriminação da saúde contra pessoas que vivem com o HIV e a AIDS tem aumentado devido a mitos e equívocos. Como resultado, as vítimas foram estigmatizadas e deixadas de fora nos assuntos comunais.

Conquistas do Dia da Discriminação Zero

Desde a sua criação em 2014, o Dia Zero da Discriminação deu alguns passos notáveis ​​no sentido de reduzir a discriminação. Muitos países membros usaram este dia como uma plataforma para divulgar suas queixas sobre questões que impedem a igualdade. Na Índia, os ativistas saíram para expressar suas queixas, especialmente contra as leis que discriminam a comunidade LGBTI. As regras contidas na constituição indiana discriminam os homossexuais. Outro país que utilizou este dia na Libéria. A AIDS Nacional na Libéria, através de seu presidente, instou as pessoas a não vitimarem as pessoas vivendo com HIV / AIDS. Outra conquista notável foram as campanhas do PNUD em 2017 para o tratamento adequado de pessoas LGBTI e pessoas que vivem com HIV e AIDS.

Desafios do Dia da Discriminação Zero

Embora o Dia Zero de Discriminação tenha feito algum progresso, tem havido alguns desafios que atrapalham suas estratégias. As diferenças políticas nos países membros desempenharam um papel significativo na desaceleração das atividades da ONU. Tais ideologias políticas variadas não fornecem um ambiente propício para campanhas contra a discriminação. Além disso, a pobreza em alguns países membros é prevalente, portanto, as pessoas nessas regiões não podem acessar os serviços oferecidos durante esse dia. Devido à falta de educação de qualidade, muitas pessoas não estão conscientes dos seus direitos.

Recomendado

Fatos interessantes sobre o Luxemburgo
2019
Os 10 rios mais longos da Pensilvânia
2019
Animais das Montanhas do Atlas
2019